• Redação

Você já conhece o Mini Handebol de Praia?!



Em 2019 alguns países da Europa iniciaram diversos testes com a versão praia (ou areia) do mini-handebol chamada “Mini Beach Handball” ou “Mini Handebol de Praia”, nomenclatura oficial do jogo disputado na areia no Brasil. O objetivo era oferecer uma nova possibilidade de atividades físicas divertidas e formativas com os mesmos conceitos educacionais do mini-handebol.

Alunos da equipe 360 Graus nas Areias

O Mini Beach Handball é a iniciação aos princípios e fundamentos do Beach Handball de forma adaptada para crianças de 5 a 10 anos de idade, divididas em categorias conforme sugestão:

▪ Mini A: 5 e 6 anos de idade;

▪ Mini B: 7 e 8 anos de idade;

▪ Mini C: 9 e 10 anos de idade.


A prática ainda está em sua fase inicial de desenvolvimento, mas seguindo a linha de trabalho e conduta do mini-handebol, as aulas devem ser planejadas com atividades variadas, lúdicas e positivas que respeitem as características das crianças. Isso deve ser tanto de acordo com a idade, quanto em relação ao seu grau de desenvolvimento, com a intenção de promover o crescimento integral da criança: físico, motor, socioafetivo, cognitivo e esportivo.


Por ser uma atividade feita na medida para as crianças, as atividades práticas são repletas de adaptações que possam contribuir para o melhor andamento e desenvolvimento do processo pedagógico. Itens como: bola, número de jogadores, traves e tamanho de quadra são somente alguns itens que foram adaptados do Beach Handball para proporcionar uma melhor experiência para as crianças.

(professora Thamiris Duarte com a equipe 360 Graus nas Areias e Projeto Mão Solidária)


Sugestões para as idades:

▪ Mini A: 5 minutos cada jogo com máximo de seis jogos por dia com este

sistema de tempo; (Dois sets de 5 minutos); bola “zero-zero”;

▪ Mini B: 7 minutos cada jogo com máximo de seis jogos por dia com este

sistema de tempo; (Dois sets de 7 minutos); bola “zero”;

▪ Mini C: 8 minutos cada jogo com máximo de seis jogos por dia com este

sistema de tempo; (Dois sets de 8 minutos); “bola zero”

▪ Jogo sem contagem: tempo único de 8 minutos para todas as

categorias.


Ficou curioso e quer saber mais? O livro “Mini Beach Handball”, de Juliana Saraiva, Luigi Francavilla, José Nilton Cardozo Junior, Bruno Vieira de Camargo e Jean Garcia dos Santos está disponível neste link aqui.


Esperamos em breve oferecer mais esta possibilidade de prática divertida e formativa para as nossas crianças!



PERFIL DO AUTOR

Diego Melo de Abreu é Mestre em Educação, Políticas e Gestões Públicas pela UMESP; Pós-graduado em Handebol pela UNIFIL/PR e em Educação Física Escolar pela FMU/SP. É Coordenador Pedagógico do Mini-Handebol na Confederação Brasileira de Handebol (CBHb), docente de Educação Física nas universidades Metodista, Anhanguera e FAM - Faculdade das Américas. Também escreveu os livros “Teoria e Prática do Mini-Handebol” e "Vamos conhecer o Mini-Handebol da Federação Paulista".

SOBRE A PÁGINA

Vai falar sobre o mini-handebol e a importância de valorizar a iniciação esportiva, além de dar dicas sobre a melhor maneira de introduzir o esporte para as crianças.

Convidamos você também a participar. Deixe aqui seu comentário, envie sua sugestão de assunto e entrevistas, elogios ou críticas para o email do HandBlog da Tchê Esportes.

Se preferir, ainda temos um canal de comunicação do whatsapp



27 visualizações