• Andréa Rodrigues

Livia Horacio embarca para Portugal em busca de sonho olímpico

Pivô está na lista das 22 atletas pré-convocadas para Tóquio; contrato com o Madeira SAD foi assinado para a temporada 2020/2021

Livia Horacio vai em busca de vaga na Seleção (foto arquivo Tchê Esportes / André Pereira )

“Vou tentar, não posso morrer com essa dúvida!” A incerteza a que se refere a pivô Livia Horacio é a possibilidade de conseguir jogar as Olimpíadas de Tóquio, que será realizada a partir do dia 23 de julho de 2021. Ela está na lista das 22 atletas pré-convocadas pelo técnico da Seleção Brasileira de Handebol Feminino Jorge Dueñas. Isso explica a difícil decisão de embarcar para Portugal no dia 8 de setembro para jogar a temporada 2020/2021 pelo Madeira SAD, time da primeira divisão do handebol português.


“Foi uma decisão muito difícil, comecei a pensar nesta possibilidade de voltar à Europa no final de julho. Isso ocorreu, pois as perspectivas de retorno de competições no Brasil estavam ruins (e ainda continuam) apesar de eu torcer muito para que algo aconteça. E eu preciso estar em atividade”, contou Lívia à Tchê Esportes.


A atleta de 33 anos disse que conversou om algumas equipes e estudou as propostas envolvendo todos os aspectos. “Escolhi Portugal por vários contextos. Terei uma boa condição de vida, estarei com minha filha e uma outra pessoa no nosso dia a dia, além de o meu marido poder ir esporadicamente devido aos compromissos profissionais que ele tem no Brasil, e poder vivenciar um novo handebol, além de voltar à ativa em breve.”


Livia chega em Portugal no dia 9 de setembro e no dia 10 vai realizar exames médicos e iniciar os treinamentos. Ela já recebeu um plano de treinamento físico e terá um mês de pré-temporada, já que o primeiro jogo da equipe portuguesa está previsto para o dia 18 de outubro.


O currículo esportivo da pivô brasileira inclui duas temporadas na França defendendo o Le Havre (2010/2011) e o Fleury Loiret (2011/2012) e o retorno ao Brasil após uma lesão no ligamento cruzado anterior. No ano seguinte, já recuperada, ela voltou a defender São Bernardo e em 2014 foi campeã mundial universitária com a Seleção Brasileira.


“Decidi parar de jogar no final de 2017 e me dedicar à agência de marketing esportivo e outros projetos, um deles era de ser mãe. E em junho de 2017 descobri que estava grávida! No final de 2018 recebi uma ligação de um dos gestores da equipe UNIP/SBC para retornar às quadras, e como foi um pedido muito especial, decidi voltar a jogar... a maior emoção da minha vida como atleta foi estar naquela final de Liga Nacional com a minha filha de apenas 8 meses na arquibancada. Em 2019 decidi me dedicar novamente e foi um ano especial, muitas conquistas dentro e fora de quadra, até com o título de melhor pivô da Liga!”


A pivô se despede da equipe de São Bernardo, com quem estava em treinamento on-line desde o início do ano. “São Bernardo me apoiou muito, pois sabem das minhas intenções e sabem da realidade que estamos vivendo devido à pandemia. Eles têm ciência de que não é um adeus, e sim um até breve...”


Equipes:

Categorias de base – Sport Club Corinthians Paulista

Júnior/Adulto - Metodista/SBC de 2006 a 2010

Le havre/FR - 2010|2011

Fleury/FR - 2011|2012

Metodista/SBC 2013


Títulos:

• Octacampeã dos Jogos Abertos do Interior – São Bernardo do Campo

• Octacampeã dos Jogos Regionais – São Bernardo do Campo

• Heptacampeã da Liga Nacional – Metodista São Bernardo

• Heptacampeã Paulista – Metodista São Bernardo

•Vice campeã Sul-americana com a Seleção Adulta 2010

• Vice campeã da Copa da França 2011/2012 – Le Havre

• Campeã da Challenge Cup EHF 2011/2012 – Le Havre

• Semifinalista da Copa da Liga da França 2011/2012 – Le Havre

•Campeã Mundial Universitária 2014

•Campeã do Pan-americana de Clubes 2016 – Metodista São Bernardo

• Vice campeã do Pan de Clubes 2019 – UNIP São Bernardo