Estados Unidos fora do Mundial do Egito e Suíça substitui

Seleção estadunidense de handebol confirmou 18 casos positivos de Covid-19 a dois dias do embarque para a competição

A seleção de handebol dos Estados Unidos comunicou oficialmente a sua retirada do 27º Campeonato Mundial Masculino do Egito após vários resultados positivos nos testes obrigatórios para a detecção de Covid-19 às vésperas da viagem para disputar a competição. A Suíça, segundo país substituto na lista da Federação Internacional de Handebol (IHF) de acordo com os critérios, foi chamada para a vaga no grupo E.


Ao jornal norueguês "Aftenposten" o técnico Robert Hedin disse que 18 jogadores da equipe foram infectados com Covid-19, revelando que ele mesmo havia testado positivo para o vírus. A ideia era enviar 12 atletas para o Mundial, mas o próprio Hedin admitiu que não tinham defesa e iriam com apenas um goleiro.


O treinador não soube responder como as infecções surgiram. “Fomos testados o tempo todo. Na segunda-feira fizemos um teste rápido que deu negativo”, relatou o sueco ao jornal norueguês. Há possibilidade que um jogador que chegou dos Estados Unidos à concentração da equipe, tenha levado o vírus com ele.


Essa seria a primeira participação dos Estados Unidos em um campeonato mundial de handebol desde 2001. O país foi indicado para representar a região da América do Norte e do Caribe pelo Conselho da IHF depois que as tentativas de organizar um torneio de qualificação foram frustradas pela situação de pandemia do coronavírus.


A participação seria importante para a equipe, já que muitos estão vendo os Estados Unidos com um grande potencial para desenvolver o handebol. O país tem planos importantes para o esporte e para as Olimpíadas de Paris 2024 e os Jogos LA 2028.