• Andréa Rodrigues

De contestado a MVP, Valadão mostra porque ainda é chamado de “Tanque”


Armador voltou à Seleção após três anos e foi destaque no jogo que classificou o Brasil para a próxima fase do Mundial de Handebol


Guilherme Valadão é conhecido por “Tanque” dentro das quadras. O armador de 1m95cm e 107 quilos completa 28 anos no próximo dia 25 de janeiro. Ele sempre teve imposição física sobre seus adversários, sendo muito difícil de marcá-lo e também de passar por ele. Após um período de três anos sem jogar pela Seleção Brasileira de Handebol, três cirurgias de ligamento cruzado no joelho entre 2016 e 2018, ele foi convocado para participar do Mundial Masculino que acontece na Alemanha e Dinamarca.

Muitos contestaram a decisão do técnico Washington Nunes de levar o meia esquerda, mas na última partida da fase classificatória ele foi escolhido “Player of the Match”, o melhor jogador em quadra contra a Coreia. E festejou junto com os colegas a classificação à próxima fase do Mundial Masculino e a melhor colocação do selecionado brasileiro até hoje na competição. À Tchê Esportes, Valadão falou sobre o momento que vive e disparou: “não acho que eu estou num nível tão alto quanto os meninos da Seleção, mas dentro de quadra tudo muda”.


Convocação “Estou muito, muito feliz de voltar a fazer parte desse grupo, de fazer parte da Seleção Brasileira. É sensacional. Eu que machuquei em fevereiro de 2016, e minha última convocação tinha sido em fevereiro de 2016 em um torneio na Espanha que acontece normalmente dias 2 e 3 de janeiro. Sempre foi meu sonho voltar, adoro estar aqui, amo esse ambiente, e estar na Seleção pra mim é o reconhecimento de todo o trabalho e esforço que você faz o ano inteiro. Então estou muito, muito feliz!”

Classificação “A classificação foi sensacional! Acho que nós tínhamos a missão mais difícil que nos foi dada em relação aos últimos Mundiais de 2011, 2015, 2013 e 2017, e pelo sistema de disputa Main Round. A nossa chave, com França, Alemanha sendo o time da casa e uma potência, França atual campeã mundial, Rússia e Sérvia são duas potências que nós sempre sofremos para ganhar. A Rússia inclusive, em 2013 e 2017... Então foi sensacional ganhar dessas equipes, fazer um jogo bom com a França e, por último para coroar, o jogo da classificação contra a Coreia.”

Próximo objetivo “Foi algo histórico, que tem uma coisa muito boa: esse grupo por ser tão competente, com jogadores bons atuando na Europa em alto nível, com Thiagus no Barcelona, Haniel na França, Zé Toledo na Polônia, acaba que não ficamos felizes com a 12ª colocação. Está todo mundo descansando, se concentrando e querendo fazer academia... Não foi agora aquele sentimento de tirar um peso das costas, foi um sentimento de colocar um peso maior e treinar mais e estar mais qualificado para conseguir uma colocação melhor. Nossa meta agora – a primeira é claro – é ficar entre os dez melhores. Então nós queremos (ganhar) pelo menos um jogo e a partir daí a gente vai desfrutar e tentar o máximo pra chegar a uma semifinal, que seria algo ainda mais sensacional”.

MVP contra a Coreia “Quanto ao MVP (melhor do jogo) foi uma sensação maravilhosa, acho que aí sim coroa todo esse trabalho, coroa a recuperação das lesões, a crítica. Eu entendo muito a crítica do povo. Realmente eu não acho que eu estou num nível tão alto quanto os meninos da Seleção, mas dentro de quadra tudo muda.”


Ficha Técnica

Nome: Guilherme Valadão Gama Data de Nascimento: 25/01/1991 (27 anos) Altura: 1m95cm Peso: 107 Kg Lesões: 7 cirurgias no joelho e 1 no ombro Temporadas na Europa: 4 (quatro), sendo a última no BM Granollers, da Espanha em 2016 Último clube: Taubaté (SP) em 2018

Participação em Mundias: 2015 e 2019

Gols no Mundial 2019: 7 (sete) na primeira fase

#noticias #handebolnacional #IHF #mundialalemanhadinamarca2019 #seleçãoadultam #SeleçãoBrasileiraHandebol

0 visualização