GHC larga na frente no 1º jogo das quartas de final da Liga Nacional


Com velocidade e muita vibração, piauienses venceram o São Caetano em busca da vaga na semifinal do torneio masculino de handebol


São Caetano(SP) vs GHC(PI),  1º jogo pelas Quartas de final da Liga Nacional Masculina de Handebol 2018 (foto André Pereira - Tchê Esportes)

Na disputa pela última vaga às semifinais da Liga Nacional Masculina de Handebol o São Caetano enfrentou ou GHC/Caic/UniNassauna tarde dessa sexta-feira (2/Nov) no ginásio Marlene José Bento (EDA), em São Caetano do Sul (SP). Os donos casa perderam por 24 a 28 (11 a 15), e agora o GHC tem pequena vantagem na segunda partida.

“Foi um jogo muito disputado, muito acirrado e ainda bem que saímos com a vitória. Mas precisamos nos concentrar para a segunda partida, o professor Alberto é um ótimo técnico, então temos que ter cuidado para não errar. No contra-ataque, que é nosso ponto forte, tivemos muitos erros, vamos tentar corrigir isso para sairmos novamente com a vitória”, disse o técnico do GHC Giuliano Ramos.


Giuliano Ramos, técnico do GHC (PI). (foto André Pereira / Tchê Esportes)

O jogo realmente foi muito acirrado, tanto que houve sete marcações de dois minutos para o São Caetano e cinco para o GHC.

Primeiro tempo

Duas equipes bastante jovens, com um início de jogo muito corrido. O São Caetano começou melhor e aos 5 minutos estava na frente por 3 a 1. Pouco mais de três minutos depois o GHC empatava por 3 a 3. Aos 9 minutos os piauienses passavam à frente e com muita vibração e boas defesas do goleiro (17),o GHC abriu 7 a 3, obrigando o técnico do São Caetano Alberto Galina a pedir tempo. O time reagiu, mas não o suficiente para frear a velocidade do GHC.

A partir daí o jogo foi pura correria e vibração, o que favoreceu o time do Piauí. O São Caetano não conseguia desacelerar o jogo e trabalhar as jogadas. A dez segundo do final da primeira etapa o São Caetano ainda diminuiu com um 7 metros e o placar ficou assim: GHC/Caic 15 x 11 São Caetano.

Segundo Tempo

Na etapa final São Caetano voltou trabalhando melhor os ataques e a defesa ficou um pouco mais consistente. O GHC encontrava mais dificuldade ofensiva, mas mesmo assim o time do ABC não conseguia tirar a diferença, pois cometia erros de passe e precipitação de jogadas. Aos 15 minutos o jogo estava São Caetano 16 x 21 GHC.

Se a tendência é o ritmo da partida diminuir nos últimos 15 minutos, não foi o que aconteceu com o GHC. A vibração e a velocidade no ataque continuaram como se ainda estivesse no início do jogo, mantendo a vantagem em cerca de cinco bolas. Aos 26min30seg o placar era de 28 a 21 para o GHC, o que obrigou o técnico do São Caetano novamente a pedir tempo. Com isso a diferença caiu e o jogo terminou com o placar de São Caetano 24 x 28 GHC.

“Precisamos corrigir os erros defensivamente, a velocidade atrapalhou um pouco a nossa defesa, depois baixamos de 5-1 para 6-0 mas ainda ficaram algumas coisas expostas. Precisamos ajustar isso e depois arrumar o ataque. E tentar reverter essa situação, que acredito que é possível sim”, analisou o técnico Alberto Gallina, do São Caetano.


Alberto Gallina, técnico do São Caetano. (foto André Pereira / Tchê Esportes)

DESTAQUE

ARTILHEIRO

Thiago Cruz, do GHC(PI), foi o artilheiro do jogo com oito gols.