• Andréa Rodrigues

ONG lança projeto de handebol a crianças e adolescentes de São Bernardo do Campo/SP


Além das técnicas do esporte, iniciativa estimula espírito de equipe e ética entre participantes da periferia da cidade


Atender a crianças, adolescentes e jovens em situação de vulnerabilidade social por meio da prática do handebol. Esse é o objetivo do Projeto “Mão Solidária Handebol”, que a Associação Desportiva e Cultural Mão Solidária lançou no sábado (26/mai), no Centro Nacional de Desenvolvimento do Handebol, em São Bernardo do Campo (SP).

O evento apresentou as atividades previstas pela parceria da ONG e do governo do Estado de São Paulo com a iniciativa privada por meio da Lei Paulista de Incentivo ao Esporte – patrocinam essa iniciativa a Companhia Siderúrgica Nacional (CSN) e Tubos Ipiranga. Foram entregues os uniformes a cerca de 100 crianças e adolescentes que fazem parte do projeto.

“Mão Solidária Handebol” prevê ainda estender a atuação aos pais e responsáveis dos alunos com o oferecimento de formação técnico- profissionalizante, cursos, palestras, encaminhamentos às empresas para inserção ou reinserção no mercado de trabalho, além do apoio das psicólogas sociais e assistentes sociais. Até o final do ano, deverão ser atendidas cerca de 240 crianças.

"Duas vezes por semana e com duração de duas horas, realizamos os treinos, ensinamos os fundamentos do esporte, além de estimularmos o companheirismo, a integração entre as crianças e a disciplina" – explica Daniel Robert Suarez, o “Cubano”, do ex-atleta da seleção cubana e hoje técnico e professor atuante na instituição Cubano. Ele, que é o idealizador do projeto, informa também a ONG realiza atendimentos da psicologia social e do serviço social, “além de buscarmos parcerias com o segundo setor, colégios e faculdades para o oferecimento de outras ações”.

HISTÓRIA

A ONG Mão Solidária foi criada em 2005 em São Bernardo do Campo graças à iniciativa de Cubano. Ele viu algumas crianças que haviam pulado o muro que separa o então Clube da Volkswagen da comunidade sendo retiradas do local, e conseguiu convencer a direção de permitir a entrada de meninos e meninas para ensinar-lhes técnicas de handebol.

A ideia sempre foi oferecer, por meio da prática dessa modalidade esportiva, a possibilidade de dar às crianças mais desfavorecidas condições de desenvolverem habilidades do esporte, ao mesmo tempo que aprendem valores como espírito de equipe, respeito, solidariedade e ética.

Nestes 13 anos, a ONG já alcançou cerca de 1.800 crianças e adolescentes de São Bernardo. Atividades também contemplam o atendimento à comunidade de Paraisópolis, em São Paulo.

“O que nos inspira é mudar vidas através do esporte, e para isso utilizamos o handebol como fio condutor”, explica Ricardo Campos de Oliveira, presidente da ONG.

Para mais informações:

Paulo Roberto Garcia – (11) 99642-2649 -paulo.garcia@belaprosa.com.br

Ricardo Campos Oliveira (11) 98143-0745 - adcmaosolidaria@gmail.com

#noticias #hcr

16 visualizações