Marcão, o Thierry Omeyer brasileiro


Goleiro de handebol do Pinheiros tem semelhanças com o atleta francês e também é ídolo no Brasil


Marcão, o Thierry Omeyer brasileiro. (foto arquivo Tchê Esportes)

Eles são multicampeões, defenderam por anos as seleções de seus países, têm 41 anos e preparam a aposentaria das traves, sem necessariamente deixar o handebol. Estamos falando do goleiro do Esporte Clube Pinheiros Marcos Paulo dos Santos, o Marcão, e de Thierry Omeyer, atleta do clube francês PSG, na mesma posição. Enquanto Omeyer já definiu que jogará a última temporada e depois fará parte da equipe técnica do PSG e assinou um contrato até 2022, Marcão diz que em breve também vai parar, mas ainda não definiu a data. “Lá no clube o pessoal brinca que falo que vou parar desde que eu tinha 35 anos. Mas acho que 2022 é uma boa data”, diverte-se Marcão. Mas o fato é que o atleta ainda é titular absoluto no Pinheiros e um dos líderes do time.


Para chegar aos 41 anos jogando em alto nível, Marcão tem uma rotina extremamente regrada de alimentação e treinos, embora não realize as atividades com tanta intensidade quanto antes. “O treino dele e de outros ‘veteranos’ como Diogo e Zeba será diferenciado nessa temporada”, confirma o técnico Sérgio Hortelan, do Pinheiros. “Hoje sinto que não dá mais para treinar na mesma intensidade, o corpo responde de uma forma diferente. Mesmo assim, tomo muito cuidado, não descuido um segundo e o resultado é que ainda me sinto muito bem durante as partidas. Em 2017 joguei toda a temporada como titular na maior parte do tempo”, conta o goleiro.


Marcão após aquecimento para o jogo contra São Caetano, em 2014. (foto arquivo Tchê Esportes)

Marcão considera Omeyer um excelente goleiro e diz que foi um dos primeiros goleiros europeus que utilizou como espelho. “Temos uma semelhança porque ele analisa muito cada jogador e utiliza muito trabalho de posicionamento e velocidade de reação. Por eu ser um pouco mais baixo que ele, tenho que utilizar mais a minha velocidade de reação”, diz. “Isso ajuda porque muitas vezes os arremessos são muito fortes.”


Marcão usa a velocidade de reação para compensar a altura. (foto arquivo Tchê Esportes)

Toda a experiência que adquiriu ao longo de mais de 20 anos de carreira Marcão agora passa para os mais jovens. Ele se dedica a dar clínicas e palestras e pensa em continuar a trabalhar com o handebol num futuro próximo. O goleiro que inspirou o irmão Maik, agora um dos principais atletas da Seleção Brasileira, quer continuar a incentivar as novas gerações do esporte.


Marcão como o irmão Maik após jogo pelo Campeonato Paulista de 2015. (foto arquivo Tchê Esportes)

CURRÍCULO CAMPEÃO


Currículo Campeão - Marcos Paulo dos Santos. (foto arquivo Tchê Esportes)