• Andréa Rodrigues

Torneio Quatro Nações de Handebol e amistosos são importantes para atletas novos


Técnico da Seleção Brasileira Masculina diz que a competição serve também para conhecer novo esquema de jogo da Argentina


O Torneio Quatro Nações de Handebol Masculino, que começa nesta sexta-feira (27) e vai até o domingo dia 29 de outubro, será mais que um teste para jogadores jovens que chegam à Seleção Brasileira principal, como os pontas Arthur Peão e Rudolph Hackbarth, ambos do Esporte Clube Pinheiros (SP). A competição servirá também para observar os adversários sul-americanos, principalmente a Argentina, que recentemente contratou o técnico espanhol Manolo Cádenas.


Antes, porém, os dois amistosos realizados justamente contra a Argentina e o Chile serviram para dar ritmo de jogo e entrosamento para os atletas brasileiros. Foi hora de enfrentar o “novo” sistema de defesa 6-0 argentino e de conhecer os jovens atletas chilenos que farão parte da seleção principal do país nos próximos anos. O técnico da Seleção Brasileira Masculina de Handebol Washington Nunes conversou com a Tchê Esportes sobre a importância dessa competição.

A CONVOCAÇÃO

“A ideia é ampliar o número de jogadores (da Seleção Brasileira). Trouxemos 22 jogadores e 3 goleiros para observar um número maior de meninos, como eles estão, alguns mais novos que jogam no Brasil e que entraram no processo. E que tiveram um desempenho muito bom durante essa temporada e no ano passado, casos de Peão, Rudolph e o Alemão, que já era do grupo e não foi ao Mundial porque estava machucado. E a ideia é que possamos observar todos eles dentro da situação de jogo.”

ADVERSÁRIOS

“Temos pela frente Argentina e Chile como grandes candidatos ao Pan-americano. O Chile conseguiu desbancar a Argentina no classificatório para o Mundial da França e como vice-campeões a gente tem que tomar cuidado com eles. Mas a Argentina trouxe um treinador espanhol que provavelmente vai produzir coisas. No amistoso ele já apresentou um jogo totalmente diferente do que a Argentina fazia, um 6-0, uma defesa mais fechada. A Argentina sempre jogou 5-1, historicamente nos últimos 30 anos. E eles também estão com um número de jogadores grandes, altos e isso vai favorecer o trabalho de defesa deles. A ideia é que todos possam ter um tempo de jogo pra cada um desses adversários, pra uma boa observação e também pra ir fundamentando coisas dentro da base do jogo.”

AMISTOSO CONTRA A ARGENTINA

“Para o jogo contra a Argentina houve bastante precipitação nas questões de ataque, falta de tempo entre os jogadores, mas que é normal com o pouco tempo de treinamento e já com jogos. Mas foi importante fazer esse número de jogos porque dá ritmo de jogos ao grupo, além de vários jogadores que puderam passar por jogar contra a Argentina, seja agora no amistoso, seja no torneio.“

AMISTOSO CONTRA O CHILE

“Estamos tentando dar ritmo de jogo para todos os atletas, muitos deles ainda não tinham atuado juntos. No primeiro tempo tivemos um trabalho defensivo ruim, erramos muito, principalmente nas ações da defesa 5-1. Mas o ataque foi o ponto principal, porque em metade do primeiro tempo da partida conseguimos marcar melhor, mas perdemos seis bolas no um contra o goleiro e tivemos oito "turnovers" (perder a bola no ataque), o que deu 14 bolas perdidas, o que não pode em um jogo como esse. Na segunda parte mudou a postura, a atitude, marcou muito bem, muito melhor, saímos no contra-ataque e fizemos boas ações sobre a defesa deles e acabou 12 gols (de vantagem). Isso foi bom, mas precisa manter um grau de concentração maior para o Torneio. Isso serviu de alerta, porque estavam um pouco relaxados pro jogo, mas acredito que durante o Quatro Nações a concentração vai voltar e eles vão jogar muito bem.”

IV TORNEIO QUATRO NAÇÕES

27/OUT - SEXTA

17H00 - Argentina X Chile 19H00 - Brasil X Uruguai (Transmissão SporTV)

28/OUT - SÁBADO 16H00 - Argentina X Uruguai 18H00 - Brasil X Chile (Transmissão SporTV)

29/OUT - DOMINGO 10H00 - Brasil X Argentina (Transmissão SporTV) 12H30 - Uruguai X Chile

Seleção Masculina de Handebol


Goleiros

César Almeida 'Bombom' (BM Granollers-Espanha)

João Victor Perez Feliciano (1955 Batman Belediyespor-Turquia)

Leonardo Terçariol 'Ferrugem' (JS Cherbourg Manche HB-França).

Armadores

Gustavo Rodrigues (US Créteil Handball-França)

Haniel Langaro (Dunkerque Handball Grand Littoral-França) José Guilherme de Toledo (Wisla Plock-Polônia)

Oswaldo Maestro Guimarães (Helvetia Anaitasuna-Espanha)

Thiago Ponciano (BM Ciudad Encantada-Espanha)

Thiagus Petrus Gonçalves dos Santos (Pick Szeged-Hungria).

Centrais

Acácio Marques Moreira Filho (BM Ademar León-Espanha)

Henrique Teixeira (BM Bada Huesca-Espanha)

João Pedro Silva (Sport Lisboa e Benfica-Portugal).

Pontas

André Martins Soares 'Alemão' (Taubaté/FAB/Unitau-SP)

Arthur Flosi Alexandre Peão (EC Pinheiros-SP)

Cleryston Novais (Aziziye Belediyese Termalspor-Turquia)

Fábio Chiuffa (BM Logroño-Espanha)

Felipe Borges (Sporting Clube de Portugal)

Lucas Cândido (BM Guadalajara-Espanha)

Rudolph Hackbarth (EC Pinheiros-SP).

Pivôs

Alexandro Pozzer 'Tchê' (Dunkerque Handball Grand Littoral-França)

Felipe Santaela 'Panda' 'FC Porto-Portugal)

Leonardo Domenech (Club Balonmano Angel Ximenes Puente Genil-Espanha).

#noticias #mundialfrança2017masculino #seleçãoadultam #handebolnacional #SeleçãoBrasileiraHandebol

2 visualizações