• Andréa Rodrigues

Time de handebol do RS lança programa sócio-torcedor


Liga Hamburguense de Handebol (LHH) oferece vantagens a quem aderir à campanha para arrecadação de recursos


A crise econômica fez com que muitas equipes de handebol pelo Brasil tivessem verbas reduzidas e outras até mesmo terminaram com times de várias categorias. Sem poder contar com recursos públicos e também da iniciativa privada, o time da Liga Hamburguense de Handebol (LHH/Gusch) lançou o programa sócio-torcedor, iniciativa que visa informar e oferecer alguns benefícios a quem contribuir com o time. A campanha chama-se Time Campeão 2017 e até mesmo empresas podem contribuir com o projeto. “Temos muitos torcedores e pessoas disseram que querem nos apoiar. Esperamos conseguir atingir nossa meta de termos cem torcedores no ano”, fala Matheus Arena, técnico da equipe.


Quem se associar ganha uma camiseta exclusiva, carteirinha oficial, além de descontos e benefícios em parceiros cadastrados pela equipe. A contribuição pode ser feita em até três parcelas e há descontos para crianças e planos familiares. A equipe espera a adesão não só de parentes e de estudantes do colégio Gusch, mas também de outras pessoas da região para ajudar na formação de atletas e participação em várias competições, principalmente em nível escolar.

A origem do time é o Santa/Feevale, de Novo Hamburgo (RS), que jogou nove Ligas Nacionais Feminina e chegou ao terceiro lugar em duas oportunidades. Atletas como a ponta Fernanda Barbosa, que atua no Santo André, em São Paulo, e até mesmo a goleira da Seleção Brasileira Bárbara Arenhart, a Babi, passaram pela equipe. Em 2014 o colégio Santa Catarina deixou o convênio e em 2016 foi fechada uma nova parceria com o colégio Gustavo Schreiber (GuSch), de São Leopoldo (RS). Além do foco no handebol escolar a LHH/GuSch mantém um projeto social para dar oportunidade a jovens carentes de praticar a modalidade.

Em um ano foram montados novas equipes sub-14, sub-16 e adulto e com elas conquistaram o campeonato estadual juvenil invicto e também o torneio da categoria cadete. Como maior conquista em 2016 foram campeãs adulta, desbancando o time da UCS após sete anos. “Esse ano tivemos oito equipes no estadual adulto. Já chegamos a ter competições com dois times apenas, mas a Federação ajudou outros times a se estruturarem. Ainda assim precisamos ter mais jogos”, diz Arena.

“Esse carinho e estrutura que o colégio nos deu, mais o amor ao handebol que meu pai (Renato Arena, ex-técnico do Santa/Feevale) transferiu pra mim foi essencial. Esperamos ter um 2017 forte e continuar crescendo”, conta Arena, de olho no apoio de torcedores como Dona Norma Cassel, de 92 anos, que em breve vai receber sua camiseta e a carteira de sócia-torcedora.


Informações sobre a campanha: (51) 98117.8016 (51) 99696.0506 lhhandebol@gmail.com

LEIA TAMBÉM

Apahand/UCS volta à disputa da Liga Nacional de Handebol

Sem dinheiro, sem time de handebol e sem perspectiva

#handebolfeminino #noticias #lhhfeminino

0 visualização