• Andréa Rodrigues

1º Festival de Mini Handebol reúne 120 atletas em SP


Mayara e Pré, atletas da Seleção Brasileira de Handebol e do Pinheiros, foram os padrinhos da edição.


Sete equipes com atletas entre 7 e 12 anos estiveram no Centro Olímpico da capital nesse sábado (12/set) para a disputa do 1º Festival de Mini Handebol: revelando talentos. A primeira edição contou com 120 atletas de clubes federados e também de projetos sociais.


Marcelo Minhoto, Diretor de Handebol do ECP. (foto André Pereira / Tchê Esportes)

“A nossa iniciativa (Pinheiros), junto com o Centro Olímpico, foi de criar o evento e chamar as equipes através do relacionamento com os treinadores que nós conhecemos que trabalham com essas categorias menores. É uma forma de estimularmos a prática do handebol e gerarmos novos atletas”, falou Marcelo Minhoto, o Xexa, diretor de Handebol do Esporte Clube Pinheiros.


Marcelo Minhoto: "É uma forma de estimularmos a prática do handebol e gerarmos novos atletas". (foto Fê Pereira)


1º Festival de Mini Handebol, Centro Olímpico/SP. (foto André Pereira / Tchê Esportes)

Para o técnico Daniel Suárez, o Cubano, do Centro Olímpico, o intuito do Festival é incentivar a prática do esporte.


Cubano, técnico do Centro Olímpico. (foto André Pereira / Tchê Esportes)

“Fomentar que os meninos e meninas comecem a gostar cada vez mais do handebol. É muito importante que o handebol cada vez mais continue crescendo e que tenhamos mais participantes”, disse Cubano, à Tchê Esportes.


1º Festival de Mini Handebol, Centro Olímpico/SP. (foto Fê Pereira)


1º Festival de Mini Handebol, Centro Olímpico/SP. (foto André Pereira / Tchê Esportes)

Os atletas do Pinheiros e da Seleção Brasileira Danilo Silva, o Pré, e Mayara Fier, foram os padrinhos da edição. A cada final de jogo eles conversavam com os pequenos jogadores do Centro Olímpico, Esporte Clube Pinheiros, Projeto Mão Solidária de Diadema e de Paraisópolis, e as equipes de São José dos Campos, Mosteiro São Geraldo e Atibaia.


Pré e Mayara Fier, atletas do EC Pinheiros e padrinhos do evento. (foto Fê Pereira)

“Estou muito feliz de estar aqui porque me faz lembrar a minha infância, como eu comecei com o handebol e como os meus olhos brilhavam quando eu via alguém do time adulto ou de seleção, porque era um incentivo a mais de sonhar um dia em estar no mesmo nível deles”, lembrou Mayara.

Um desses pequenos é Caê, do Mosteiro São Geraldo. Ele tem 11 anos e começou a treinar nesse ano e participou de sua primeira competição.


Caê, atleta do Mosteiro São Geraldo, dá entrevista a Anderson Pereira. (foto Fê Pereira)

“Nós ganhamos uma partida e perdemos outra. Eu gosto de jogar handebol”, contou Caê ao repórter mirim da Tchê Esportes Anderson Pereira, de 9 anos.

Os pais e mães que estiveram presentes no Centro Olímpico também aprovaram o evento.


Vanda Falconi, mãe de Carlos Diego, a foto abaixo com Cubano. (foto André Pereira / Tchê Esportes)

“Estou gostando muito! Porque é uma oportunidade deles jogarem, porque acho que toda criança treina, treina... e tem uma hora que precisa jogar. E jogando você vê que faz toda a diferença, dá uma emoção, testa os limites. Eu estou achando super interessante”, disse Vanda Mafra Falconi, mãe do atleta Carlos Diego, de 12 anos.


Cubano e atletas participantes. (foto André Pereira / Tchê Esportes)


1º Festival de Mini Handebol, Centro Olímpico/SP. (foto André Pereira / Tchê Esportes)

O próximo festival já está marcado para o dia 8 de novembro, no 4º andar do ginásio poliesportivo do Esporte Clube Pinheiros.

#minihandebol #noticias #handebolnacional

0 visualização