• Andréa Rodrigues

“Não desistimos nunca e provamos isso”, diz Hubner


Jogador falou da conquista do título Pan-Americano de Handebol pelo Brasil e do drama que viveu durante 10 minutos.


Diogo Hubner é um dos jogadores mais importantes e experientes do handebol brasileiro. O sábado, dia 25 de julho, vai ficar marcado pra sempre na vida do atleta por motivos completamente diferentes. A conquista dos Jogos Pan-Americanos pela Seleção Brasileira sobre a Argentina, e um drama pessoal.

Faltando poucos segundos para o encerramento da partida no tempo regulamentar, Hubner não converteu o tiro de 7 metros que desempataria o jogo e daria o título ao Brasil. Os 10 minutos seguintes, tempo da prorrogação, foram tensos e ao mesmo tempo redentores para o atleta. O Brasil venceu seu maior rival por 29 a 27 e devolveu a derrota sofrida na edição anterior do Pan-Americano, em 2011.

À Tchê Esportes Diogo Hubner falou sobre aquela partida, sobre Seleção Brasileira e sobre seu próximo objetivo. Confira:

(Tchê) Dá pra dizer que esse é um dos mais importantes da tua carreira?


(Diogo) Sem dúvida alguma é o título mais importante da minha carreira, pela grandiosidade do título, pela importância do título de Campeão Pan-Americano. É somente a terceira vez que o Brasil é campeão dos Jogos Pan-Americanos, modalidade Handebol, então é muito gratificante pra mim.


Gol de Diogo (reprodução TYCSports)

(Tchê) Quando iniciou essa trajetória vocês já projetavam uma final contra a Argentina?


(Diogo) Desde o início da competição todo mundo já projetava essa final. Brasil e Argentina são as equipes mais qualificadas do continente já há algum tempo. E a gente se preparou jogo a jogo, não ficou pensando na Argentina, somente quando nós e eles classificamos pra final. Pensamos jogo a jogo, estudamos todos os adversários, a preparação foi muito bem feita e a gente conseguiu se sair muito bem nesse torneio.


Gol de Diogo (reprodução TYCSports)

(Tchê) Qual a principal característica desse time? Guerreiros a gente já sabe que vocês são!


(Diogo) Esse time é um time que trabalha muito, que treina bastante, que se doa muito, que tem muita vontade de crescer, muita vontade de chegar aonde o handebol brasileiro masculino nunca chegou. E isso nos move. E acho que o nome Guerreiros cai muito bem pra gente, muito por conta disso. Não desistimos nunca e provamos isso.


Gol de Diogo (reprodução TYCSports)

(Tchê) No momento em que o goleiro defendeu o 7 metros nos segundos finais da partida, a tua sensação foi mais de frustração ou de raiva?


(Diogo) O momento em que o goleiro (da Argentina) defendeu o 7 metros foi bem complicado, porque se a gente perdesse, seria muito frustrante pra mim porque estava em minhas mãos a vitória e eu desperdicei a cobrança do tiro de 7 metros. Mas graças a Deus tudo deu certo e a gente conseguiu sair com a vitória.

(Tchê) O que o Jordi Ribera (técnico da Seleção) falou pra vocês antes da partida e do início da prorrogação?


(Diogo) Antes da partida o Jordi deu as instruções que devem ser dadas e disse que a gente tinha que deixar ali nossa alma, como se fosse o último jogo das nossas vidas. E uma coisa que ele sempre fala: “Finais não são feitas pra se jogar, finais são feitas pra se ganhar”. E a gente cumpriu à risca isso que ele sempre fala pra gente.

Na prorrogação as palavras dele foram de incentivar todo mundo, em um momento particularmente ele quis me dar um chacoalhão porque eu fiquei bem abatido por ter desperdiçado a cobrança de 7 metros. Mas falou da parte tática, da parte técnica, do que deveria ser feito e graças a Deus deu tudo certo.


Gol de Diogo (reprodução TYCSports)

(Tchê) Você marcou 15 gols, ficou em 22º lugar no ranking dos Top 40 artilheiros do Pan e teve um aproveitamento de 72% nos arremessos a gol, um dos mais altos entre todos (5º). Nos chutes de 7 metros você só não aproveitou um, acertou 10 em 11 cobranças. Como você avalia a sua participação no Pan-Americano? Você ficou satisfeito?


(Diogo) Acho que a minha auto-avaliação nos jogos Pan-Americanos foi boa. Acho que cumpri o papel que é designado a mim, de organizar a equipe, de organizar o jogo, de liderar o grupo em muitos momentos dentro da quadra e eu estou muito satisfeito com a minha participação. Espero poder melhorar muitos aspectos ainda. Eu tenho um objetivo maior, que são os Jogos Olímpicos.




Comemoração do Brasil (reprodução TYCSports)

Outras informações:



#handebolmasculino #noticias #toronto2015 #pan2015adultom #panadultom #pan2015 #seleçãoadultam #SeleçãoBrasileiraHandebol

1 visualização