• Andréa Rodrigues

O desespero da equipe de Handebol de Cubatão


Motorista errou o caminho e time feminino chegou uma hora atrasado a Guarulhos onde jogou pela abertura da Liga Paulistana de Handebol.

Cena 1 – 14h30


O time de Guarulhos, atual campeão da categoria Livre Feminino, começa o aquecimento para a partida de estreia da Liga Paulistana de Handebol (LPHb).

Cena 2 – 15h


O técnico da equipe de Cubatão na categoria Livre, Danilo Silva, anda de um lado para o outro, nervoso, e conversa com a arbitragem e a técnica adversária, Margarida Conte. Ele explica que a equipe ainda não chegou porque o motorista errou o caminho. A arbitragem decide esperar por meia hora, conforme o regulamento.

Cena 3 – 15h30


Passados 30 minutos, Danilo Silva implora para que as árbitras aguardem mais um pouco. Ele consegue contato com a equipe e garante que elas chegarão para jogar. Margarida concorda. Mais 15 minutos de tolerância são concedidos. As atletas de Guarulhos já começam a fazer brincadeiras durante o aquecimento.

Cena 4 – 15h45


O pouco público, que enfrentou chuva para assistir à partida começa a ir embora. A arbitragem conversa para saber se fecha a súmula e decreta a vitória de Guarulhos por WO. As atletas da equipe já pararam e recomeçaram o aquecimento diversas vezes. Após muita discussão, o prazo final é 16h.

Cena 5 – 15h57


O presidente da LPHb Rogério Fiacadori chega ao Ginásio da Ponte Grande para resolver a situação. Danilo Silva continua apreensivo, pois o prazo está se esgotando e as meninas ainda não chegaram.

Cena 6 – 16h


O motorista da van com as atletas de Cubatão estaciona a cerca de 100 metros da entrada do ginásio. Além de atrasadas, elas correm desesperadas e trocando de roupa no meio da rua.


Cena 7 – 16h02


Após dois minutos excedentes do prazo para o fechamento da súmula as atletas de Cubatão entram correndo e se vestindo no ginásio. Começam o aquecimento enquanto a súmula é completada.

Cena 8 – 16h12


Começa oficialmente a partida entre Guarulhos e Cubatão pela categoria Livre Feminina da LPHb. O primeiro tempo terminou com a vantagem de Guarulhos por 15 a 5. O resultado final foi de 29 a 14 para as donas da casa.

Cena 9 – 17h17


Fim da novela.

Os personagens:

- Danilo Silva (técnico da equipe feminina Livre de Cubatão)


“O motorista que faz o transporte pra gente é terceirizado e a van que trazia a maioria das meninas desviou o caminho e acabaram se perdendo. Eu como estava em São Caetano pela manhã vim direto para cá. Acabou acontecendo um atraso grande, de uma hora.”

- Margarida Conte (técnica da equipe feminina Livre de Guarulhos)


“Por mim, eu jogo. A gente já está preparada e as meninas não se importam de esperar.”

- Andrea Inglez (árbitra da partida)


“Está na regra que a gente só pode esperar 30 minutos e tem que fechar a súmula. Mas o adversário concordou em esperar, por isso concordamos em aumentar o prazo. Mas elas chegaram no último minuto.”

- Rogério Fiacadori (presidente da LPHb)


“A gente tenta e quer ajudar as cidades e hoje foi o maior exemplo disso. A prefeitura disponibilizou um carro utilitário e o técnico alugou uma van, pagou do bolso dele. O que seria mais justo: dar o WO e cobrar lá da cidade, penalizar os atletas, o técnico que está pagando uma van do bolso dele, ou a gente aguardar alguns minutos e realizar a partida como foi feito? A gente tem que deixar bem claro aqueles que batalham e lutam pelo handebol e fazem tudo direitinho. E uma vez ou outra vão precisar da gente, que usemos o bom senso. A gente sempre vai estar atento pra ver quem é ou não culpado. Seria muito simples pra Liga ler o regulamento e dar o WO, mas a luta que eles (Cubatão) têm pra participar do campeonato é matar um leão por dia, às vezes dois. Então a gente tem que ajudar essas pessoas, porque senão o handebol vai acabar.”

Veja Tabelas de jogos e fotos da LPHb >>>

Tchê Esportes. Handebol em Primeira Mão!

#lphb #guarulhosfeminino #noticias

0 visualização